Centenário do Escotismo no RN é homenageado na Assembleia Legislativa

 

A história do Escotismo no Rio Grande do Norte completa 100 anos e recebe homenagem da Assembleia Legislativa nesta sexta-feira (23). Na ocasião, o deputado estadual Jacó Jácome (PSD), propositor da sessão solene, destacou o surgimento do movimento no Estado e sua identificação com o escotismo.

“Essa homenagem é uma forma de demonstrarmos o nosso reconhecimento, respeito e gratidão àqueles que apoiam o escotismo e colaboram efetivamente para a construção de um mundo melhor. Ser escoteiro é trabalhar a coletividade e as boas ações, de maneira voluntária e educacional, pelo bem do próximo”, disse Jacó Jácome.

O deputado lembrou que começou a participar do movimento em 2010, quando então ocupava o cargo de subsecretário de juventude do Governo do Estado e no ano seguinte, realizando a Conferência Estadual de Juventude, com grande apoio do escotismo. “Desde então participei de acampamentos regionais, fóruns nacionais de jovens líderes e congressos nacionais escoteiros”.

Jacó destacou ainda seus projetos para os escoteiros desde que era vereador e agora continua na luta como deputado. Como vereador, incluiu no orçamento municipal o projeto escotismo nas escolas de Natal e como deputado continua buscando garantir a lei que institui o projeto escotismo nas escolas a nível estadual. O parlamentar representa o RN na União Parlamentar Escoteira do Brasil.

Para o deputado, o escotismo enfatiza as atividades com objetivos educativos. Pensando nisso ele lembrou o professor e também político João Faustino, único potiguar a ocupar a Presidência Nacional dos Escoteiros do Brasil, e homenageou (in memoriam) o monsenhor João Penha Souza Filho, principal liderança dos escoteiros do RN após Luiz Soares. Jacó Jácome lembrou ainda da educadora Noilde Ramalho, entusiasta e apaixonada pelo escotismo.

A Associação dos Escoteiros do Alecrim, Instituto Padre Miguelinho, Grupo Escoteiro Expedicionário Pedro Maia Filho, Grupo Escoteiro Guy Larigaudie, Grupo Escoteiro José Nazareno Fernandes, Grupo Escoteiro Professor Luiz Soares, Grupo Escoteiro São Sebastião, Grupo Escoteiro Valle Sobrinho, Liga de Ensino do Rio Grande do Norte e União dos Escoteiros do Brasil/RN também foram homenageados.

Também presente na solenidade, o primeiro vice-presidente dos Escoteiros do Brasil, Ivan Alves, destacou a contribuição do escotismo para o país. “O escotismo está presente em quase todos os países e surgiu a partir da busca de valores para ajudar aos jovens. Como escoteiros os jovens passam a conhecer mais os seus limites, aprendendo, assim, a respeitar também os limites alheios. A juventude aprende também o significado de cidadania e democracia”, declarou.

O deputado federal Antônio Jácome (PODE) aproveitou a ocasião para cobrar mais ações do poder público em torno dos escoteiros e ressaltou a criação, na Câmara dos Deputados, da Frente Parlamentar em Defesa do Escotismo. “O escotismo envolve a formação de crianças e adolescentes com atividades físicas buscando sempre o desenvolvimento psíquico e moral dessas crianças e adolescentes, defendendo os valores da família, os princípios do cristianismo e também na defesa de causas humanitárias”, destacou Anônio Jácome.

A sessão solene contou ainda com a participação do deputado estadual Hermano Morais (PMDB), representantes do Governo do Estado, Prefeitura do Natal, Câmara Municipal, escotistas e dirigentes de diversos grupos do Estado.

Escotismo

O Movimento Escoteiro foi criado em 1907, na Inglaterra, por Baden Powell. Chegou ao Brasil em 1910, por intermédio de oficiais e praças da Marinha Brasileira que estavam na Europa e se impressionaram com a nova metodologia de educação complementar. Esses oficiais fundaram, no dia 14 de junho de 1910, no Rio de Janeiro, o primeiro grupo de escoteiros brasileiros. Já no Rio Grande do Norte, atendendo as solicitações do poeta Olavo Bilac, grande admirador do Escotismo, o então vice-governador Henrique Castriciano, se articula aos amigos, o diretor da Escola de Aprendizes Marinheiros, comandante Monteiro Chaves e o professor Luiz Correia Soares de Araújo, então diretor da Escola Padre Miguelinho, e em 24 de junho de 1917 fundam oficialmente o Movimento Escoteiro no Rio Grande do Norte.

 

Assessoria