Chuva forte deixa quatro mortos no Recife e em Olinda

whatsapp-image-20160530_6
Desabamento de barreira em Águas Compridas (Foto: Reprodução/Whatsapp)

O temporal que caiu no Grande Recife deixou quatro pessoas mortas, nesta segunda-feira (30). Três delas foram vítimas de um deslizamento de barreira registrado em Águas Compridas, em Olinda. Um óbito aconteceu por causa de queda de encosta em Passarinho, na Zona Norte da capital pernambucana. Em seis horas, choveu 200 milímetros, o equivalente a 67% do esperado para o mês de maio inteiro. Universidades federais e o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) suspenderam as atividades durante todo o dia.

A Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) confirmou as três mortes provocadas por um deslizamento de barreira ocorrido em Olinda. As vítimas do acidente são uma criança de sete anos e duas mulheres. O desmoronamento aconteceu no fim da madrugada desta segunda-feira (30). São os primeiros óbitos registrados na cidade, no período chuvoso deste ano.

No Recife, a vítima foi uma criança de 4 anos. É segundo óbito notificado na capital pernambucana este ano, em decorrência do período chuvoso. O outro ocorreu em abril, também na Zona Norte.

Em Águas Compridas, o Corpo de Bombeiros realizou uma operação de buscas na Primeira Travessa do Amanhecer, perto da Ladeira do Giz. Um carro do Instituto de Medicina Legal (IML) chegou ao local por volta das 9h30. Dois jovens ficaram feridos e foram levados para a casa de parentes após o resgate. Ainda não há informações sobre o estado de saúde das pessoas.

Também segundo moradores, as duas vítimas foram resgatadas pelos próprios vizinhos, já que a equipe da Defesa Civil ainda não chegou à localidade. O plantão do órgão municipal informou que a equipe não conseguiu sair do prédio e “está ilhada”.

Passarinho
No bairro de Passarinho, na Zona Norte do Recife, uma menina de 4 anos morreu e duaspessoas ficaram feridas após um deslizamento de terra na Rua Visconde Garrett. Segundo a Secretaria-Executiva de Defesa Civil, com o desmoronamento da barreira, um muro construído de forma irregular caiu em cima da casa onde a criança morava. A residência ficou completamente destruída.

“Provavelmente, alguém que mora em cima da barreira fez um corte irregular. E aí, com a chuva, a barreira cedeu. Os moradores disseram que o desmoronamento foi por volta das 5h”, afirmou o secretário de Defesa Civil, coronel Cássio Sinomar. O corpo foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, área central.

Outros dois moradores ficaram feridos e foram levados para uma unidade de saúde não informada. Ainda de acordo com o órgão municipal, não foram ferimentos graves.

Essa é a segunda morte este ano provocada por desmoronamento de barreira na capital pernambucana. No dia 17 de abril, um homem de 39 anos morreu no Córrego do Euclides, no Alto José Bonifácio, Zona Norte da capital.

Do G1