Deputados se solidarizam com ministro Marcelo Navarro, inocentado pela PF

 

Em pronunciamento na sessão desta quarta-feira (23), na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Kelps Lima (Solidariedade) se pronunciou e se solidarizou com o ministro Marcelo Ribeiro Navarro Dantas após divulgação de relatório da Polícia Federal concluindo que não houve crime de obstrução de justiça na indicação do magistrado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) por parte da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2015. O documento ganhou publicidade na imprensa nacional na terça-feira (22) e a PF apontou que, feitas todas as diligências, não se confirmou a denúncia contra o potiguar.

“Doutor Marcelo Navarro é um patrimônio intelectual e jurídico do nosso Estado. É daqueles  que viraram referência e por isso merece esse registro. Pois na hora de chancelar a inocência, não se dá o mesmo espaço dado na hora de se fazer acusação. Merece esse registro porque o processo de tirá-lo do noticiário negativo não corre na mesma velocidade de quando foi incluí-lo”, destacou Kelps Lima.

O deputado Fernando Mineiro (PT) classificou o episódio como “um dos fatos mais lamentáveis da história política e jurídica do Brasil” e ainda traçou um paralelo com a história do processo que afastou a ex-presidente Dilma Housseff do poder. “Vocês imaginam quantas denúncias foram feitas e serviram de base para afastar Dilma e que são infundadas. Muitas reputações foram jogadas no lixo”, disse.

Em aparte, os deputados Hermano Morais (PMDB), José Dias (PSDB) e Getúlio Rêgo (DEM) destacaram a trajetória e a reputação do ministro. “Conheço desde criança, quando éramos alunos do Colégio Marista e ele sempre foi dos mais destacados, aluno brilhante que passou em todos os concursos que prestava, sempre com nota máxima”, disse Hermano Morais

José Dias se disse aliviado e lembrou da angústia vivida pela família, enquanto Getúlio Rêgo lembrou da passagem de Marcelo Navarro como procurador geral da Assembleia Legislativa e destacou o preconceito sofrido pela sua origem. “Sempre existe uma resistência por ser de um estado pequeno. Quantas vezes os jornais massacram políticos apenas por serem nordestinos”, disse.

Os deputados Gustavo Carvalho (PSDB) e George Soares (PR) também contribuíram com o pronunciamento iniciado por Kelps Lima. “Desde o dia que esta delação ocupou a grande mídia brasileira, eu já tinha certeza que o desfecho não seria diferente”, disse Gustavo. Enquanto George Soares (PR), prestou solidariedade ao ministro e sua família.

 

Assessoria

Leave a Comment