Funaro confirma que recebeu dinheiro para ficar em silêncio

Lúcio Funaro
Doleiro Lúcio Funaro firmou acordo de delação premiada com a PGR após a irmã ser presa? Foto: Internet

BRASÍLIA. O doleiro Lúcio Funaro confirmou, em delação premiada firmada com o Ministério Público Federal (MPF), que recebeu dinheiro do empresário Joesley Batista, sócio da JBS, para ficar em silêncio diante dos investigadores da operação Lava Jato. A afirmação foi feita em depoimento que consta no acordo, ainda não homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). As informações são do jornal “O Globo”.

De acordo com Funaro, o dinheiro seria para que ele não revelasse o que sabia sobre corrupção e movimentação ilegal de recursos por parte de políticos importantes no país. Se confirmada a informação, o depoimento de Funaro ratifica o que disse Joesley em conversa com o presidente Michel Temer (PMDB). Por isso, a declaração é peça fundamental da denúncia que está sendo preparada pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra o peemedebista.

Temer já foi denunciado por corrupção passiva, mas, após maciça distribuiçao de emendas parlamentares, a Câmara dos Deputados rejeitou o pedido para que o STF analisasse a acusaçao contra o presidente antes do fim de seu mandato.

Temer ainda é investigado por obstrução de Justiça e envolvimento em organização criminosa. Os dois crimes devem ser imputados a ele na nova denúncia que está sendo preparada pela equipe do procurador geral da República, Rodrigo Janot.

Na conversa com Temer, travada no dia 3 de março e divulgada em maio, Joesley Batista descreveu uma série de crimes que teria cometido. Em determinado momento do encontro, realizado no Palácio do Jaburu, o empresário disse, de forma cifrada, que vinha fazendo pagamentos regulares a Funaro e ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O ex-presidente da Câmara era um dos maiores aliados de Temer, e Funaro era seu operador.

Em depoimentos da delação premiada, Joesley e outro executivo da JBS, Ricardo Saud, disseram que os pagamentos eram para comprar o silêncio de Funaro e Cunha, uma forma de proteger o presidente e alguns auxiliares. Com a confirmação por parte de Funaro, a versão ganha força e pode complicar o presidente.

Versão antiga. Em um depoimento à Polícia Federal (PF) realizado no mês passado, antes de firmar o acordo de delação, Funaro confirmou os pagamentos, mas disse que se tratava da quitação de uma dívida antiga, ou seja, de um saldo de propinas. Ele teria dinheiro a receber de Joesley porque intermediou negócios da JBS. Investigadores, porém, duvidaram da versão.

Segundo “O Globo”, depois de decidir colaborar com a investigação, o operador revisou declarações anteriores e ratificou a narrativa do dono da JBS. A avaliação de membros da força-tarefa é que Funaro ficou sem opção de esconder o jogo após sua irmã Roberta ser presa, em 18 de maio, com R$ 400 mil recebidos de Ricardo Saud.

Funaro já havia apontado que o ex-ministro Geddel Vieira Lima teria sondado sua família sobre o risco de uma delação. Isso levou Geddel à prisão e também deve fazer parte da delação.

Discrição. A PGR não pediu o fim do sigilo da delação de Lúcio Funaro ao enviá-la pela primeira vez ao ministro Edson Fachin. Por isso, a maior parte do conteúdo não deve tornar-se pública mesmo após a homologação.

Acordo retorna ao STF após ajustes pela PGR

 

 

Fonte: http://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/funaro-confirma-que-recebeu-dinheiro-para-ficar-em-sil%C3%AAncio-1.1515402